20 de nov de 2015

Porque trabalhar com Arquétipos Femininos?

No íntimo das mulheres contemporâneas, as deusas existem como arquétipos e podem cobrar seus direitos e reivindicar domínio sobre suas súditas. Mesmo sem saber a qual deusa está submissa, a mulher, ainda, assim, deve dar sua submissão a um arquétipo determinado por uma época de sua vida ou por toda a existência. 

Jung chama o arquétipo das deusas de "Transformadoras", porque tendem a surgir em momentos de mudança em nossa vida, como na adolescência, casamento, morte de um ente querido, modificando totalmente nossos sentimentos, percepções e comportamentos. 

Uma vez que a mulher se torne consciente das forças que a influenciam, adquire total poder sobre este conhecimento. As deusas embora invisíveis, são poderosas e modelam e influenciam o comportamento e emoções.


Quanto mais uma mulher souber sobre suas deusas dominantes, mais centrada ela se tornará, tendo o perfeito domínio sobre seus instintos, habilidades e  possibilidades de encontrar um significado especial através das escolhas que fará. 

Fonte:
http://portaldemandalas.blogspot.com.br/2011/05/o-feminino-e-seus-arquetipos-as-sete.html
Escrito por Itamara Scaini - Roda De Mulheres 

Nenhum comentário:

Postar um comentário