15 de fev de 2016

As Deusas e a Mulher - A Mulher Atena

Imagem de Susan Seddon Boulet
Atena era denominada de “filha do pai”, por ter nascido da cabeça do pai (Zeus) e não ter conhecido sua mãe (Métis). Ela nasceu “pronta”, adulta. 
As mulheres tipo Atena são lógicas, estrategistas, racionais, práticas, desinibidas, seguras, não se deixam levar por emoções e sentimentos e são fisicamente ativas. Estão sempre no meio-termo, visto que os extremos são caracterizados por fortes emoções. 
Suas defesas são caracterizadas pelo extremo intelectualismo. Não se apartam dos homens; muito pelo contrário, sentem-se bem entre eles pois compartilham dos mesmos valores patriarcais (tradição, o poder masculino, as normas vigentes, conservadorismo). 
Escolhem homens poderosos e bem sucedidos; repudiam os mal-sucedidos, oprimidos ou rebeldes. Não esperam por um príncipe que venha salvá-las. Não possuem amigas íntimas, em função de se darem melhor com os valores masculinos do que com os femininos; exasperam-se com as outras mulheres que se queixam, principalmente, contra os homens. 
Pessoas sensíveis são tidas como idiotas. Gostam de saber como as coisas funcionam, de que são feitas e para que servem. O desafio intelectual é uma diversão. Tendem a desvalorizar suas mães, tratá-las como incompetentes. E, como mães, não são maternais, geralmente, transferem os cuidados a outrem. 
Tendem a valorizar os filhos e a manterem distância emocional das filhas que não se mostrem independentes como elas. 
Sexualmente, quando decidem ter uma vida sexual, aprendem a “arte” e desempenham com muita habilidade. 
O casamento é o tipo parceria; elas ajudam os maridos a crescerem, a alcançarem sucesso. Têm pouco ciúme sexual pois, na verdade, seu casamento pode ser visto como um bom acordo comercial. 
A mulher Atena é insensível aos sentimentos dos outros, é fria e calculista, denotando grande poder para intimidar os outros. 
Quando se relaciona ou conversa busca as falhas do interlocutor. Por isso, sempre consegue manter os outros a uma distância razoável. 
Para minimizar os efeitos negativos dessa deusa, as mulheres devem aprender a ouvir o que os outros dizem sem julgar suas emoções e sentimentos. Devem, portanto aprender a valorizar estes aspectos. Também, podem desenvolver trabalhos artesanais (costura, bordado, tricô, pintura, modelagem). Devem aprender a descobrir e vivenciar a criança interior, e, por fim, re-descobrir a mãe, aceitando-a sem depreciá-la.
Por Anyara Meneses Lasheras, copiado do site

Nenhum comentário:

Postar um comentário