19 de fev de 2016

As Deusas e a Mulher - A Mulher Perséfone

Perséfone foi adorada como deusa ou rainha do Inferno, ou como Coré (jovem garota). Foi raptada por Hades, e com a ajuda de Hermes (deus mensageiro) saiu do Inferno e pode reencontrar a mãe, passando a viver com ela em dois terços do ano e um terço viveria com Hades

Persefone por Pphoenixnightmare
As mulheres do tipo Perséfone são de pouco agir, são conduzidas pelos outros, não sabem o que querem ou para onde vão. 

Se Atena é a filha do pai, Perséfone é a filha da mãe. 

Fazem de tudo para agradar a mãe, são as boas meninas obedientes, cautelosas, recatadas, passivas e dependentes. 

Possuem fortes tendências para a mentira e manipulação (para evitar o confronto ou a raiva do outro), como também para o narcisismo. Elas fazem de tudo para se adaptarem, posteriormente, aos desejos de um homem, são uma tela em branco que o homem pinta como quer. 

Os homens que as escolhem são inexperientes, malandros e os que não se sentem confortáveis com mulheres maduras. Parecem não ter uma personalidade própria. São do tipo mulher-criança combinando forte poder de atratividade e ingenuidade (na mídia temos exemplos típicos como a Angélica e a Sandy). 

Muitas vezes, sua sexualidade está adormecida, há falta de paixão, de emoção, parecem esperar pelo “príncipe encantado” que virá acordá-las, ou são sexualmente não responsivas que se sentem estupradas ou submissas quando fazer amor. 

O casamento pode livrá-las do jugo da mãe ou deixá-las num conflito entre a mãe e o marido, repetindo-se o mito. Não se sentirão como autênticas mães ao terem os filhos, pois sempre haverá a intromissão da mãe possessiva. 

As mulheres Perséfone são joviais e até mesmo infantis. Muitas vezes são incapazes de fazerem as coisas mais simples, como comprar roupas, sozinhas, e, preferem a opinião e supervisão da mãe, que também escolhe amigos, o que fazer, pelo que se interessar, ler ou ouvir. 

Enquanto profissionais, não são dedicadas; mudam constantemente de emprego pois vivem procurando algo que lhes agrade. Mas se elas estiverem identificadas com o aspecto da rainha do Inferno, serão muito competentes, principalmente no campo psicológico ou espiritual por saberem sintonizar-se com o mundo do inconsciente. 

As mulheres Perséfone tendem a sofrer de depressão, principalmente próximas da meia-idade, pois não aceitam o envelhecimento, a perda da jovialidade, nem a dura realidade que terão que abandonar alguns sonhos há muito acalentados. Deprimem-se, também, por não expressarem a raiva, que quando reprimida se transforma em depressão. Mas sua depressão é aquela que se caracteriza por forte isolamento do mundo que a cerca, voltando-se pra o mundo interior. Entretanto, podem caminhar para uma psicose por se afastarem tanto da realidade. 

As mulheres Perséfone devem aprender a estabelecer compromissos e a viver em conformidade com estes. Devem lutar contra a indecisão, a passividade e a inércia. Devem tomar a decisão por se casar, aprender a dizer sim, pois senão o casamento será visto como uma prisão que as levará ao divorcio. Devem aprender a responder com a sexualidade genuína, entregando-se aos seus sentimentos e emoções de maneira confiante.

Por Anyara Meneses Lasheras, copiado do site

Nenhum comentário:

Postar um comentário