23 de fev de 2016

As seis principais Deusas Gregas por Roberta Struzani

Atena rege tudo o que se relaciona com a civilização, ou seja todos os aspectos da vida urbana, tudo o que serve para manter a cidade, ou a civilização em ordem pode ser regido pela típica mulher Atena

Atena rege a tecnologia, a ciência, as artes literárias, a justiça a educação e muitas outras relacionadas aos cuidados da humanidade. Atena pode apresentar-se como uma mulher moderna, que vive normalmente no centro da cidade ou trabalha em lugares bem populosos e se apresenta como uma mulher moderna, Atena guia todos os aspectos da sua própria carreira, da sua profissão e de como ela se relaciona com os tronos patriarcais da cidade.

Afrodite rege o amor e a sexualidade, todos os aspectos da vida intima e das relações pessoais. Como a ela pertence o dom de seduzir, ela é a Mulher da beleza, e por tanto das Artes Visuais, como pintura, escultura, arquitetura, moda e tudo o que é apreciado com os olhos,ou melhor com os sentidos, assim como também a musica e a poesia. A mulher Afrodite é mais pessoal do que pública, diferente de Atena que é mais Publica devido sua carreira, Afrodite se encontra em multidão dentro de salões, bares e locais onde se deixa apreciar sua beleza.

Como rainha dos mortos, Perséfone rege todos os aspectos do contato com o mundo espiritual (avernal), trabalha o consciente e o inconsciente, ela está em contato com os poderes transpessoais superiores da psique, Perséfone tem maior facilidade de acessar a mente inconsciente mais profunda, o mundo onírico e tudo o que se relaciona com o mundo psíquico, paranormal e místico. Normalmente são psicoterapeutas, psicólogas, curandeiras, bruxas e oraculistas. Normalmente estarão presentes em casos de mortes, pois de alguma forma se interessam por ela, ou acabam tendendo a auxiliar as pessoas que passam por estes traumas, costuma saber  lidar muito bem com os ciclos de morte, reencarnação e nascimento.  

Como regente das selvas, Artemis é uma Deusa da Natureza em sua forma virgem e indomada, ela estabelece um grande contraste com Atena que representa por sua vez o espírito domado e civilizado. A mulher Artemis, normalmente sente grande afinidade com animais, rege a vida dos instintos, enfatizando ao contrário de Atena mais o corpo que a cabeça, Deusa da Parturição e também dos Ciclos Lunares, envolvendo-se a todos os tipos de atividades físicas e esportes, principalmente os radicais ou ao ar livre, assim como a irmã Afrodite ela gosta de Danças, onde pode movimentar o corpo livremente seguindo seus instintos e podendo tão prazerosamente dar atenção ao seu corpo.

Sendo a descendente mais próxima da Mãe Terra temos a Deusa da Maternidade e todas as funções reprodutoras, particularmente regente das experiências interiores  aos ciclos menstruais e reprodutores. Chamada muitas vezes de “A Senhora das Plantas”, está ligada a semente e o fruto, símbolo da ligação com a alimentação, crescimento, fartura, prosperidade, ciclos das safras e da colheita. É profundamente dedicada a alimentar, cuidar e zelar tudo e todos ao seu redor, profundamente amorosa. A maior parte de sua energia é dedicada aos cuidados de bebês, crianças e qualquer criatura em crescimento.

Hera é a rainha dos céus, ou Olimpo, ocupa-se do poder ou governança. Como esposa de Zeus, ela rege o casamento, o companheirismo e todas as funções públicas em que a mulher exerce o poder, a responsabilidade ou liderança. Extremamente preocupada com a preservação e integridade da família, ela também supervisiona todos os aspectos da tradição e da coesão de uma comunidade. Mulher civilizada que procura manter os padrões patriarcais de seu marido e fazer as manutenções de seus valores. Quando seu poder é restrito ao cenário familiar, ela se torna a indiscutível matriarca da família. 

Texto de Roberta Struzani do site 

http://odespertardofeminino.blogspot.com.br/2012/06/o-estudo-dasdeusas-interiores-atraves.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário