15 de mar de 2016

PETIÇÃO ONLINE - Somália: o mundo está ao seu lado

Aos seis anos, Hibo Wardere ouviu: “você é corajosa, forte, e amanhã se tornará 
uma mulher”. No dia seguinte, foi levada a uma cabana improvisada na capital da
 Somália, Mogadishu, e teve seu lábios vaginais e clítoris removidos com uma 
gilete por um “cortador” local.

Hibo é uma das 200 milhões de mulheres e meninas que, em 30 países, 
sofreram a mutilação genital feminina (MGF). Mas na Somália, onde absurdos 
98% das meninas passam por isso, a ministra para as Mulheres e Direitos 
Humanos está tentando proibir a prática. Especialistas locais dizem que uma onda 
de apoio mundial pedindo por tolerância zero pode ajudar o governo a conseguir banir 
essa crueldade em questão de semanas!

O estado autônomo de Puntland, no nordeste da Somália, acabou de propor a proibição 
total da mutilação; o governo federal já adotou políticas progressistas vindas desse estado 
anteriormente. Se um número suficiente de nós pedirmos que esses governantes 
corajosos defendam a vida das meninas, podemos conseguir a aprovação da lei 
no Parlamento. Juntem-se ao apelo e compartilhem com todos:
Imagem: Ivan Lieman/ Barcroft Media

Para Hassan Mohamoud, presidente da Somália, Omar Sharmarke, primeiro-ministro e Zahra Samantar, ministra para as Mulheres e Desenvolvimento dos Direitos Humanos:

Como cidadãos globais atentos aos direitos de mulheres e meninas, queremos parabenizá-los pelos esforços para banir a mutilação genital feminina (MGF) na Somália. Nós aprovamos em sua totalidade a proibição completa proposta pelo governo de Puntland e incentivamos o governo federal a tomar medidas legislativas urgentes. Se a Somália aprovar um banimento agora, e, em seguida, fizer campanhas de conscientização, o país se tornará o símbolo mundial da tolerância zero com essas práticas cruéis.
Você pode fazer parte - entrando no site e assinando: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário