10 de set de 2016

DOCUMENTÁRIOS - Mães Solteiras

O documentário revela as experiências individuais de mulheres que engravidaram em décadas diferentes, em que o país tinha características culturais muito peculiares ao período em que elas se tornaram mães solteiras. 

O drama e as diferenças de reações de amigos e familiares, durante e depois da gravidez. Duração: 80 min

”É isso o que eu tenho, o pai e a mãe em uma pessoa só”. A frase compõe um relato de uma das várias mulheres que fazem parte do documentário Mães Solteiras, que exibe e proporciona reflexão sobre a vida daquelas que criam os filhos sem a presença do pai biológico. Produzido e idealizado pelo jornalista e cineasta Ulisses Rocha, o filme de longa metragem torna público depoimentos densos sobre como as mulheres conseguiram romper os paradigmas da sociedade e se tornaram mães com papel duplo ao criar os filhos.
“Eu que nunca pensei em ser mãe, falava ‘meu Deus, como é que vai ser?’. Tive uma compulsão muito grande por comida, engordei 22 quilos, e uma vez brinquei com a minha mãe que Deus é tão perfeito que não me deu desejo, porque eu não ia ter um pai para ir comprar uma ameixa”, relata uma outra mãe.
As personagens se voluntariam ao contar detalhes íntimos de relacionamentos que não evoluíram, como o abandono e a submissão masculina, mas não desistiram de seguir em frente com a gravidez, mesmo com oportunidades de fazerem aborto como muitas relatam.
“Quando meu filho fez sete meses, o pai dele ligou querendo me ver. Eu fui ao encontro achando que ele queria conhecer e reconhecer o filho. Não, sequer perguntou do filho. Ele queria me ver. Foi a única vez que consegui conversar com ele depois de tudo o que aconteceu e eu falei ‘você só volta a me procurar o dia que quiser saber do seu filho, caso contrário, esqueça que eu existo’. E ele nunca mais me procurou. Foi a última vez que o vi”, afirma uma das personagens.
Sem conseguir captação pela Lei Rouanet, que a princípio foi aprovada, Rocha comprou os equipamentos de filmagem e contou com a ajuda de amigos que atuam no jornalismo e cinema para a realização do projeto, que durou cinco anos entre roteiro e finalização da edição, concluída este ano.
“Mais que um filme, Mães Solteiras se transformou em um projeto de pessoas que acreditaram na essência do que é ser mãe solteira, que na minha opinião são mulheres guerreiras que mostram toda a sua força na criação de um filho, diante do abandono dos pais biológicos”, descreve Rocha.
Rocha decidiu não comercializar o filme, mas sim torná-lo documento público, para que o maior número de pessoas possível possa ter acesso às histórias, sentimentos, alento e proporcionar reflexão sobre ao resultado a vida dessas mulheres que se desdobram na criação dos filhos com ternura e compaixão.
A trilha sonora foi composta pelo tecladista da banda Rádio Taxi, Flávio Villar Fernandes, e as imagens aéreas captadas pelo Comandante Hamilton, piloto conhecido por coberturas jornalísticas via helicóptero, além de outros profissionais que atuam na área.
Ulisses Rocha é jornalista e Mães Solteiras estreia sua carreira como cineasta. Atuou como repórter na extinta TV Manchete, Rede Bandeirantes, Rádio Globo, CBN  e TV Record, onde realizou coberturas nacionais e internacionais pelos programas Jornal da Record, Repórter Record e Domingo Espetacular e SBT Repórter.  É também professor de documentário na Universidade FMU/Fiam.
Serviço:

Mães Solteiras – Filme documentário – 80 minutos – Drama – Direção: Ulisses Rocha – Disponível em: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário