1 de dez de 2016

01 DE DEZEMBRO- Celebração do Dia

Festival Poseidea, na Grécia, honrando Poseidon e Anfitrite, as divindades do Mar. Poseidon ou Netuno, para os romanos, era o deus dos mares, lagos e rios, o regente de todas as criaturas aquáticas e senhor dos terremotos e tempestades. Ele tinha duas esposas: uma mortal, Cleto e uma imortal, Anfitrite. Embora descrita nos mitos gregos mais recentes como uma simples Nereide obrigada a se casar com Poseidon, Anfitrite era, na verdade, uma antiga deusa tríplice, pré-helênica, cujo nome significava "A Tríade toda abrangente"Ela era a manifestação feminina dos oceanos, morando nas grutas submarinas repletas com suas jóias, de onde emergia para provocar ou acalmar tempestades, direcionar as ondas ou cuidar dos peixes e mamíferos marinhos. Uma das manifestações de Anfitrite era a deusa grega da água, Halsodyne e sua equivalente romana Salácia.

Dia dos seres elementais, nos países eslavos. Os povos eslavos acreditavam na existência de vários tipos de elementais ou o "Pequeno Povo", como eram chamados nas tradições celtas. Os Domovoj eram os elfos caseiros; eles moravam atrás das lareiras nas casas que eles tinham adotado e eram extremamente leais às famílias que os abrigavam. Os Bannik viviam nos banheiros e gostavam de encontrar uma vasilha com água fresca colocada ao seu dispor após o anoitecer. Os Vazila cuidavam dos cavalos e os Bagan, das cabras e das ovelhas. Já o Leshi era o Senhor das Florestas, cuidando de todos os animais e podendo tornar-se malévolo e perigoso nos meses de verão. Os Poleviki, os elfos dos campos, viviam nos trigais e prejudicavam as colheitas se não recebessem agrados e respeito. 

Independente dos nomes ou características específicas às culturas e lugares, os seres elementais estiveram sempre presentes na Natureza, dispostos ao convívio amistoso com os seres humanos desde que houvesse respeito e colaboração recíproca. Procure entrar em contato com os elementais de seu ambiente próximo: jardim, campo, porão, sótão, cozinha ou escritório. Procure atraí-los ou agradá-los oferecendo-lhes leite, mel, gengibre, canela, nozes, frutas cristalizadas, flores, cristais, pedaços de prata ou pirita, músicas de flautas, gaitas ou harmônicas, essências florais, sucos de frutas e velas coloridas. Comunique-se telepaticamente com eles, pergunte-lhes quais seus nomes e preferências e peça-lhes que cuidem de suas coisas, animais de estimação, plantas e propriedade. Uma vez prometendo-lhes algo em troca, jamais esqueça sua promessa, pois eles se irritam facilmente, tornando-se vingativos, maldosos e podendo lhe trazer inúmeros aborrecimentos ou prejuízos. 

Homenagens celtas para as Senhoras Verdes, os elfos que moram nos carvalhos, teixos, salgueiros, freixos, pinheiros ou macieiras. Todas as árvores deveriam ser tratadas com respeito para que as Senhoras Verdes não se ofendessem. Eram elas que davam a permissão para que os galhos fossem cortados ou os frutos colhidos. 

Dia dedicado a práticas oraculares na Europa, quando as jovens camponesas tentavam descobrir o nome de seus futuros maridos inscrevendo as iniciais dos candidatos em cebolas, colocando-as depois perto do fogão. O eleito seria aquele cuja cebola brotasse primeiro. 

Celebração de Pallas Athena, na Grécia e de Minerva, em Roma, a deusa da sabedoria e da justiça. 

Ritual do Dia:
Com tantas celebrações diferentes neste dia, a melhor coisa a fazer é pedir um aconselhamento para a sábia deusa Athena

Prepare um pequeno altar com uma vela amarela, incenso de mirra, uma estatueta de coruja, um copinho com azeite de oliva e um papel com o seu simbolo astrológico: Visualize Athena vestida com uma túnica ornada de serpentes, tendo uma coruja em seu ombro e desenrolando um longo pergaminho, onde você poderá ler conselhos e orientações importantes para seu momento atual.

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur. http://www.teiadethea.org/

Nenhum comentário:

Postar um comentário