7 de jan de 2017

07 de Janeiro - Deusa Sekhmet

Resultado de imagem para sekhmet
Dia de Sekhmet, a deusa solar egípcia com cara de leoa, simbolizando o poder destruidor do Sol enquanto Bast, a deusa solar com cara de gato, representava o poder criador e fertilizador do Sol. 

Equivalente sumeriana de Sekhmet era Lamashtu, a "Filha do Céu", uma deusa com cabeça de leão dotada de intenso poder destruidor, contaminando as crianças com febres e atacando os adultos para beber seu sangue. Para se proteger de sua fúria, as pessoas colocavam amuletos com seu nome acima de todas as portas e janelas das casas.

*********

Mitologia - Sekhmet, a Deusa egípcia do Sol com cabeça de leão, é conhecida como o aspecto destrutivo do Sol. Prometendo destruir toda a humanidade num acesso de fúria, ela saiu para uma farra assassina, mas foi impedida graças à intervenção de Rá, o Deus supremo, que colocou grande quantidade de cerveja misturada com suco de romã no seu caminho. Pensando que fosse sangue humano, Sekhmet bebeu a mistura e ficou embriagada. Quando acordou, seu ódio havia passado. Nesta pintura, o vermelho significa a natureza acerba e latente de Sekhmet.

Significado da carta - Sekhmet salta para dentro da sua vida para ajudá-la a lidar com a raiva. A raiva, sua ou de outra pessoa, faz com que você se sinta mal? Você a teme porque lhe ensinaram que não é bonito ter raiva? Ou que expressá-la é feio? Você reprimiu ou desligou-se da raiva a tal ponto que agora está difícil expressá-la? Talvez você tenha passado da raiva para o ódio. Ódio é raiva acumulada, raiva fora do contro-le. Pode ser que você esteja em ebulição o tempo todo e não saiba como tirar a panela do fogo. Sekhmet diz que a raiva faz parte da nossa força como mulheres. Não desperdice a sua raiva. Aprenda a expressá-la de modo que ela possa ser ouvida. Aprenda a transformá-la de modo que ela a fortaleça e lhe dê energia. O caminho para a totalidade será mais vital quando você fizer da raiva a sua aliada.

Sugestão de ritual: Dance com Sekhmet 
Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida e possa fazer barulho. Você precisará de um tambor ou travesseiro, ou de um bastão bataka*. Você pode dançar ou ficar sentada, o que achar mais apropriado. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a colu-na reta. Respire fundo e solte lentamente o ar, contando até oito. Respire fundo outra vez e sinta-se, visualize-se ou perceba-se numa praia. Pode ser uma praia conhecida ou imaginária. Inspire profun-da e lentamente, sentindo o cheiro do mar, e, enquanto solta o ar, vá até lá. Sinta o sol quente na pele e a brisa fresca que vem do oceano. Chame Sekhmet e peça-lhe que esteja presente para testemunhar e ajudá-la a lidar com a sua raiva. Sekhmet aparece e se senta diante de você.

Pergunte a si mesma: "De que tenho raiva?", e ouça a resposta. (Pode ser uma raiva recente ou uma raiva há muito tempo reprimi-da.) Sekhmet diz para você buscar sua raiva de modo tranquilo e asse-gura que, se você chamar, ela virá. Quando a encontrar, revivencie o incidente no qual sentiu raiva, enquanto repete: "Estou zangada." Diga também qual é o motivo da sua raiva. Sekhmet testemunha tu-do e diz: "Eu ouvi; você está com raiva."

Em seu lugar seguro na praia, sentada ou em pé, continue repe-tindo: "Estou zangada." Se tiver um tambor, bata sua raiva nele. Se preferir bater num travesseiro ou usar um bastão bataka, deixe seu corpo sentir a raiva e expressá-la. Saiba que é seguro fazer isso, saiba que Sekhmet está testemunhando a sua raiva e gostando de você por isso, que a raiva é sua, e você tem o direito de senti-là. Pressione ain-da mais fundo a raiva, até sentir que acabou ou até que ela se trans-forme em outra coisa.
* Bastão bataka é um bastão feito de espuma, usado para expressar a raiva e a fúria com segurança.

Quando terminar, respire fundo, inalando toda a energia que você criou e transformou. Sekhmet lhe diz como está contente por ter testemunhado e dado espaço para você expressar sua raiva. Você se sente energizada e revigorada, agradece a Sekhmet. Ela lhe pede um presente, que você dá de coração, e em seguida vai embora. Respire fundo outra vez e, enquanto solta o ar, abra os olhos. Seja bem-vinda!

Sekhmet - ÓDIO E RAIVA

Eu queimo e solto fogo 
e arremesso dardos dos meus olhos Eu estouro e rujo 
(mesmo que você não tenha puxado a minha cauda) 
minhas arestas são afiadas e eu corto fundo 
minha enerva é forte e fogosa e meu desagrado
tem de ser manifestado
Embora algumas vezes eu seja gentil posso ser muito emotiva 
Uma vez provocada sou difícil de descartar Sou sempre adequada sempre necessária
Não tente livrar-se de mim 
Preciso ser reconhecida e ouvida 
Eu sou a raiva

*data extraída da Mandala Lunar 2017Ieve Holthausen, Naíla Andrade e Vic Campello *informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur. *informações extraídas do livro “O Oráculo da Deusa" de Amy Sophia Marashimsky. *imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário