1 de fev de 2017

Mandala da Lua (por Morena Cardoso)

{REPOST} Texto de Morena Cardoso do site DanzaMedicina
Muito se fala no Sagrado Feminino a respeito da sincronização do Ciclo Menstrual e do Ciclo da Lua. Mas como isso é feito na prática? Quais as vantagens de se observar de acordo com os ritmos e frequências de cada fase do ciclo? Como podemos utilizar isto como uma ferramenta de despertar e crescimento; como mulheres em processo de empoderamento, como buscadoras?
Vamos começar compreendendo um pouco mais sobre a natureza destes ciclos: contamos o primeiro dia do ciclo como o primeiro dia de sangramento, finalizando no último dia antes de começar a próxima menstruação; do total de dias deste ciclo, dividimos em 4(quatro), onde cada quarto representa uma fase distinta que são relacionadas às quatro fases da Lua (Nova, Crescente, Cheia, Minguante).
Não existe uma necessidade de que seu ciclo ocorra sempre no mesmo período, sempre com a mesma quantidade de dias, ou sempre na mesma fase da lua; assim como não existe a necessidade de que seja em uma ou outra lua específica.
Um ciclo dito saudável acontece geralmente entre 25 e 33 dias, se seu ciclo é menor ou maior, é sugerido que observe se não existe aí algum desequilíbrio a nível físico. Fora isso, a movimentação de seu ciclo acontece em um ritmo muito particular: ele pode ser mais curto em alguns meses(em que muitos processos internos foram ativados ou muita energia vital utilizada), ou mais longos (quando existe uma maior necessidade de integração e contemplação com o que ocorre em nós, em nossas vidas).
O Ciclo da Lua possui 29,5 dias mas cada fase lunar (Lua Nova, Crescente, Cheia e Minguante) pode durar de 6 a 9 dias cada, dependendo do ciclo;  ou seja, este processo nos chama a sair da linearidade e lógica da mente e entrar em um processo de sentir e fluir a um nível mais sutil e intuitivo; já sendo um ótimo exercício de reconexão com a sutileza e os mistérios do feminino sagrado.  
A cada momento em que recebemos nosso sangue menstrual, algo que está sendo finalizado, terminado e concluído em nós e em nossas vidas. À medida que nos conectamos mais a esta ciclicidade e a nós mesmas, começamos a perceber que existe aí uma sabedoria maior do que nossa mente pode compreender; uma sabedoria que diz respeito aos processos de cura e crescimento como seres espirituais vivendo uma jornada como mulheres. Uma sabedoria que nos ensina a respeito dos tempos de vida, de morte, de renascimento; e que nada tem a ver com datas, calendários, números ou padrões pré estabelecidos. Uma sabedoria que se manifesta, mesmo que não estejamos conscientes dela.  É interessante pensar que não existe um ciclo certo ou errado e nem um ciclo melhor do que o outro. A melhor perspectiva que podemos ter neste estudo é de que nosso corpo é sábio e ele nos trará sinais, mensagens a respeito do que estamos vivendo a um nível mais profundo; utilizando o ciclo menstrual como ferramenta para se conhecer e se situar com mais consciência na verdade que se manifesta em ti, para ti, a cada novo momento.
A Lua em que recebemos o nosso sangue, diz respeito ao que estamos nutrindo ou curando, de acordo com a energia específica de cada fase. Existe um forte mito a respeito de que menstruar na Lua Nova é melhor, ou que menstruar na mesma Lua todos os meses significa estarmos mais conectadas; mas esta crença é simplesmente uma manifestação de nossa mente controladora, racional e limitada, buscando rotular os nossos processos.
Para compreender isso de forma prática, podemos citar alguns exemplos: ficar menstruada na Lua Crescente, pode estar indicando algum processo de limpeza de aspectos de nossa infância, de nossa criança interna... ou de alimentação de algum novo projeto, uma nova idéia que se inicia. Menstruar na Lua Nova pode estar relacionado a trabalhos de cura de nosso subconsciente, de acesso a nossas sombras e padrões arraigados, ou de nutrição de nosso potencial de recolhimento, quietude e solitude. Estes são apenas exemplos, mas a melhor forma de saber o que significa cada uma destas fases é a observação de si, da lua e desta equação que se forma entre a lua no céu, a lua em ti, e as diferentes manifestações que ocorrem a partir disso.
É comum dentro dos Círculos de Sagrado Feminino, estipularem também arquétipos e padrões específicos para cada ciclo e suas fases; como a Menina, a Mãe, a Anciã, etc. Porém, é extremamente importante que cada mulher se dedique a conhecer os seus próprios padrões, os próprios arquétipos que estão sendo ativados a cada lua, a cada fase do ciclo menstrual; e as manifestações pessoais e individuais de seu caminhar único e individual através desta Mandala do Ciclo. 
Uma das mais eficientes ferramentas norteadoras deste processo de sincronização, estudo mapeamento e reconexão com o Ciclo Menstrual e o Ciclo Lunar é a Mandala da Lua. A Mandala consistem em fazer anotações diárias em um Diagrama específico, estipulando a data, o dia do ciclo menstrual, a fase da lua que está regente e os padrões físicos, mentais e emocionais referentes a cada dia, a cada fase do seu ciclo pessoal, por três meses, até que você encontre os seus padrões.
Após alguns meses de estudo comparando os padrões, vamos aos poucos nos dando conta do que se repete a cada fase; Como me sinto? Que tipo de sonhos tenho? Como me expresso? Estou mais aberta, expansiva, comunicativa? Ou mais introspectiva, observadora, recolhida? Como se manifesta minha sexualidade?Minha força de vontade, confiança, criatividade? Como me visto? Que tipo de atividade quero fazer hoje e nesta fase de meu ciclo?
Respondendo a estas perguntas passamos a observar a nós mesmas com mais atenção; compreendendo e reconhecendo nossas fraquezas e potencialidades enquanto imersas neste interminável ciclo de vida-morte-vida desde o nosso ventre. Neste ato de amor próprio e cuidado de si, podemos utilizar a nossa energia de forma mais sábia e eficiente; caminhamos por nosso ciclo em equilíbrio dinâmico: um exemplo prático disso é iniciar projetos quando estamos com uma energia mais focada, compartilhar de nossa presença quando estamos mais abertas e extrovertidas, e finalizar projetos nas fases de maior recolhimento e introspecção, etc. 
"Conhecer a nós mesmas nos empodera em muitos níveis... nos potencializa tanto na forma como lidamos com os nossos processos internos, como na forma como nos manifestamos no mundo."
Outra interessante pergunta a se fazer a cada novo ciclo, especialmente na ultima fase (conhecida como TPM) é "O que eu gostaria de transformar em minha vida?" , " O que deveria estar sendo diferente?", "O que estou carregando para o meu novo ciclo mas que não mais está conivente com que sou e o que almejo?". Fazendo estas perguntas a cada mês, e comparando estes padrões do que vem à tona em nossa TPM, podemos perceber com mais clareza, o quanto estamos nos alinhando, crescendo e espiralando em nossa jornada de vida, ou , do contrário, do quando estamos girando em círculos, empurrando nossas frustrações com a barriga e repetindo continuamente os mesmos padrões. 
 A Mandala da Lua é uma ferramenta que pode ser também utilizada como meio de controle de fertilidade, de uma forma muito mais eficiente e orgânica do que os métodos utilizados hoje em dia. Conhecendo os padrões das manifestações emocionais e físicas da ovulação e do período infértil, a mulher para de depender do controle linear de datas, calendários ou pílulas; e passa a utilizar da consciência de si como a mais confiável ferramenta.
Para saber quando você está ovulando, calcule o numero total de dias do Ciclo e divida-o por dois, se por exemplo você teve 24 dias no ciclo, o seu dia 12 é o dia de sua ovulação, assim, leia, pesquise e observe a fundo quais as características que você anotou neste dia, do seu pico de fertilidade. Se durante os três meses de anotações você observa por exemplo que seu muco aumenta durante a ovulação, observa qual o tipo de muco que se apresenta no seu dia de ovulação(que começa geralmente alguns dias antes), observa que seus seios ficam maiores e sua vagina mais inchada... se você percebe que você fica essencialmente mais aberta, extrovertida, comunicativa e positiva durante sua ovulação; então aqui você possui todos os sinais necessários para saber quando esta ovulação está ou não acontecendo, e assim se previne de uma gravidez indesejada ou potencializa uma possível gravidez, se assim desejar. Conhecendo a ti mesma e tomando as rédeas sobre a sua própria vida, sobre seu corpo sagrado, sobre a manifetação de sua sexualidade e expressão no mundo. É importante lembrarmos aqui que o espermatozoide pode durar ate 3 dias no corpo da mulher e que o ovulo dura 24 horas, então o ideal é separar alguns dias antes e depois da ovulação como o periodo fértil. 
Pode não parecer mas a Mandala da Lua serve também a mulheres que já chegaram à menopausa, que estão grávidas ou que por alguma razão não sangram mais; neste caso, a observação dos padrões ocorrem apenas de acordo com as fases da lua, mas não com o ciclo menstrual. Lembrando que a lua tem influência sobre tudo e todos, mesmo os homens que desejarem se conhecer mais em sua natureza cíclica podem entrar neste estudo(aliás, eu adoraria ter feedbacks de homens que fizeram o processo de mapeamento!!!) . 
Para as mulheres que tomam pílulas anticoncepcionais, este exercício de auto-observação se torna limitado, pois os hormônios artificiais alteram substancialmente o seu ciclo natural; porém, ainda sim é indicado que o façam, afinal, no momento em que a gentil Avó Lua percebe o chamado das mulheres por reconexão, muita sabedoria e muitos presentes são oferecidos. Este é com certeza um grande passo para se libertar dos medicamentos, do medo da fertilidade ou das desordem hormonais e físicas em geral.
Mandala da Lua DanzaMedicina por Barbara Blauth
Mandala da Lua DanzaMedicina por Barbara Blauth

 Este é um momento de voltar ao nosso potencial como mulheres, de nos empoderarmos à partir da verdade e pureza de nossos ciclos; é um momento de voltarmos a honrar o espírito de Mama Killa(A Mãe Lua), este grande arquétipo do feminino que nos relembra nossa natureza cíclica e vibra na vulnerabilidade como fonte de beleza e poder.
Esta professora que nos guia pelo caminho mesmo nas noites mais escuras, que nos ensina a brilhar em plenitude, que nos inspira a transbordar em fertilidade e abundância e que nos inspira a entrar mais profundamente nos mistérios de nossas sombras; que nos germina, nos impulsiona a crescer além de nós mesmas, a cada novo ciclo.
A avó lua... a mãe, a filha, a neta; aquela que guiou nossas ancestrais, que nos guia, e guiará àquelas que estão a vir. Que nos conecta além do tempo e espaço. Aquela que orquestra a grande espiral de crescimento e evolução de nosso espírito. Por todas as filhas da Lua que estão a uivar e voltar para casa. 
*Por Morena Cardoso: Mulher, mãe, esposa, terapeuta corporal, yogini, escritora; criadora e facilitadora da técnica DanzaMedicina. Morena vive atualmente no Leste Europeu e há mais de uma década percorre lugares sagrados ao redor do mundo para estudo, pesquisas e vivências em diferentes culturas e tradições originárias; compartilhando sua medicina pessoal em forma de ferramentas de cura e despertar do Feminino Sagrado. 
**Imagens: Elisa Riemer
***Este foi um dos 29 textos que serão publicados sequencialmente no Projeto "O Diário da Lua Vermelha". Para acompanhar o projeto e mergulhar no estudo do Feminino Sagrado, cadastre-se aqui pelo site e receba gratuitamente nossa Mandala da Lua e Calendário Lunar 2016, para estudo e sincronização de seu ciclo pessoal:
Conheça mais pelo: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário