16 de mar de 2017

16 de Março - Fada Morgana

Resultado de imagem para deusa morganaDia dedicado a Morgen ou Morgan Le Fay, a Sacerdotisa de Avalon, a ilha sagrada da mitologia celta.  Morgan ficou conhecida mundialmente com o livro "As Brumas de Avalon" como Morgana, a meia-irmã do Rei Arthur. Originariamente, ela era uma deusa "escura", que regia as Ilhas dos Mortos e presidia a morte e o renascimento dos heróis mortos em combates.

Em várias línguas celtas, "mor" significava mar, sendo os espíritos das águas chamados Morgans. A mais famosa deusa do mar recebeu o título Le Fay - A Fada. Na mitologia galesa, Morgan era considerada a Rainha de Avalon, o mundo subterrâneo dos mortos, para onde ela levou Arthur após seu desaparecimento deste mundo. Em outras lendas, Morgan pode ser uma maga e curadora, que vivia com suas oito irmãs na ilha de Avalon ou ainda um aspecto da deusa da morte Morrigan.

Ritual do Dia: Por ser a maçã o simbolo de Avalon ("Avallach" significava maçã), comemore comendo uma maçã cortada na horizontal, observando o pentagrama formado pelas sementes. Medite sobre seu caminho espiritual, pedindo à Deusa que afaste as brumas das incertezas e ilumine sua busca, permitindo sua transformação e renascimento.
Resultado de imagem para deusa morgana


Morgana, a Fada - RITMOS

Quando danço com a Vida danço o meu próprio ritmo mantendo o meu compasso
Minhas marés anímicas estão alinhadas e fluem
com a minha pulsação: minha expressão única
Reverenciando a mim mesma

eu reverencio tudo
Quando você dança com a Vida qual é o seu ritmo?
Ele é rápido ou lento lépido ou litúrgico
repetitivo ou em constante mudança? Você deixa o ritmo servi-la
ou abatê-la acalmá-la ou agitá-la encorajá-la
ou perturbá-la? Você sabe?


Mitologia - Morgana, a Fada, é uma Deusa tríplice celta da morte e do renasci-mento, representada como uma bela jovem donzela, uma vigorosa mãe/criadora ou uma bruxa portadora da morte. Ela também foi uma Deusa do mar, pois seu nome, "Mor", na língua celta significa mar. Seu último nome tem dois significados: "a fada" e "o fado", ou a sina. Nas lendas arturianas, ela era meia-irmã de Artur. Diz-se que ela manipulava Morderete, filho dela com Artur, para induzi-lo a matar o pai. Quando Artur morre, Morgana, a Fada vem em seu auxílio para levá-lo à ilha mágica de Avalon, onde ela o cura e, em seguida, lança-o num sono profundo, do qual ele só acordará quando o tem-po for propício.

Significado da carta - Morgana, a Fada chegou dançando à sua vida com seus tambores e sua magia para convidá-la a descobrir e viver seus ritmos. Qual é o seu ritmo pessoal? Você sabe qual é o melhor momento para exerci-tar-se, dormir, comer, ser criativa, fazer amor, trabalhar, etc? Ou gas-ta toda a sua vitalidade ajustando-se ao ritmo imposto pelo trabalho, pela família, pelo amante, pelos amigos? Você mergulhou na vida do outro e vive o ritmo dele em vez do seu? Talve: você nunca tenha descoberto o seu ritmo porque quer agradar àqueles com quem con-vive e "fazer parte do time". É de vital importância que você siga o seu próprio ritmo. Fluir com ele lhe dará mais energias, porque você não estará mais reprimindo o que lhe é natural. Morgana, a Fada diz que a vitalidade, a saúde e a totalidade são cultivadas quando você flui com sua pulsação única, em vez de ir contra ela.


Sugestão de ritual: Jornada até Avalon

Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire fundo e solte o ar lentamente. Inspire profundamen-te outra vez e solte o ar como se fosse um dragão de fogo, exalando chamas de tensão. Faça isso novamente e, quando soltar o ar, veja quão longe você consegue lançar as chamas da tensão. Agora, respi-re fundo outra vez e, ao expirar, visualize, sinta ou perceba que está num pequeno barco. Pode ser um barco com o qual você já está fami-liarizada ou um que só existe na sua imaginação. O barco balança, balança para a frente e para trás, e você entra num estado de profun-do relaxamento. É tão agradável ser suavemente embalada pelo bar-co enquanto você é carregada através da água, em segurança.

Você olha para cima e só vê a bruma, que se desfaz lentamente, abrindo uma passagem para o barco. Depois que você entra, a bruma


se fecha outra vez. Adiante fica a ilha de Avalon. O barco chega à margem, e você desembarca. Morgana, a Fada, lhe dá as boas-vin-das e a recebe em Avalon.

Ela pergunta o que você quer, e você diz que veio buscar ajuda para lidar com seus ritmos. Ela toma sua mão e a leva até um tanque mágico no centro de um círculo de macieiras. Vocês se sentam nas pedras na beira do tanque. Morgana, a Fada pega sua varinha e agita a água do tanque. Quando a água se aquieta outra vez, o que você vê na superfície é exatamente aquilo de que precisa. Você agradece a Morgana, a Fada pela ajuda, e ela lhe pede algo que você dá com gra-tidão, de coração aberto. Então ela a acompanha de volta ao barco.

Você entra no barco e ele parte. Novamente a bruma se abre para você, depois se fecha. O embalo suave do barco é reconfortan-te. Você está voltando, sentindo-se profundamente purificada e cons-ciente, voltando, sentindo que sabe o que precisa fazer, voltando, sen-tindo-se refrescada e revitalizada.


Você respira fundo e solta o ar bem devagar, voltando plenamen-te ao corpo. Respire fundo outra vez e, enquanto solta o ar, abra os olhos. Seja bem-vinda!

*data extraída da Mandala Lunar 2017Ieve Holthausen, Naíla Andrade e Vic Campello 

*informações extraídas do livro “O Anuário da Grande Mãe”, de Mirella Faur & "O Oráculo da Deusa" de Amy Sophia Marashimsky. *imagem da internet

Nenhum comentário:

Postar um comentário