15 de mai de 2017

Deusa Maya - 15 de Maio

MitologiaOs hindus e budistas da índia adoravam Maya como o "Universo Material", como a "Mãe da Criação", "Tecelã da Teia da Vida" e como ilusão. Ela é a parte virginal ou donzela da Kali de três partes (os três aspectos são a virgem, a mãe e a velha). Maya também é cultuada no Nepal, no Tibete, na Ásia e nos Himalaias. Seus atributos especiais são inteligência, criatividade, água e magia. Aqui ela é representada erguendo os véus da forma terrena para revelar a verdadeira natureza do universo.

Significado da carta Maya entrou sutilmente na sua vida para dizer que você precisa enfrentar a sua ilusão. Está na hora de ver o que é ilusão, o que é verdadeiro, o que é real. Você foi pega em uma situação particular e parece não poder mexer-se porque é muito difícil ver claramente? Você se sente intrigada pelo que uma certa realidade parecia oferecer e agora descobre que não existe nada lá? Tem ouvido apenas as palavras que as pessoas dizem, em vez de ouvir o que está por trás das palavras? Maya diz que é fácil ser apanhada pela ilusão. A totalidade é cultivada quando você reconhece onde está e perdoa a si mesma, fica consciente da ilusão e então, conscientemente, levanta os véus para viver a realidade. Enxergar a realidade por trás da ilusão lhe confere poder.

Sugestão de ritual: Rompa os véus da ilusão

Você precisará de caneta e papel. Reserve um horário e um lugar em que não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta, e feche os olhos. Respire bem devagar. Concentre-se na respiração, no ar entrando e saindo. Quando estiver pronta, sinta, visualize ou perceba sua situação atual envolta em véus. Ao fazer a pergunta: " O que está acontecendo?", visualize, sinta ou per-ceba esses véus rompendo-se. Agora abra os olhos e pegue o papel e a caneta. Defina a situação em que você está, depois descreva clinicamente apenas os fatos.


Ao terminar, largue a caneta e feche os olhos. Concentre-se na respiração. Quando estiver pronta, faça a seguinte pergunta: "Como me sinto sobre a situação atual?" e visualize, sinta ou perceba mais véus levantando. Abra agora os olhos e escreva como se sente em relação à sua situação. Se precisar entrar em contato com os seus sentimentos, veja Deméter: Sentimentos/Emoções, pp. 66-69.


Quando terminar, largue a caneta e feche os olhos. Concentre-se na respiração. Quando estiver pronta, faça a terceira pergunta: "Do que eu preciso?" e visualize, sinta ou perceba todos os véus restantes soltando-se da sua situação. Agora abra os olhos e anote as coisas de que você precisa.


Olhe para as suas listas, os três fios entrelaçados na situação. Pergunte a si mesma: "Essa situação me presta algum serviço?" Escreva a resposta. Concentre-se outra vez na respiração. Visualize, sinta ou perceba sua situação atual como ela realmente é. Fique na posição de observadora; não deixe que a emoção confunda a sua perspectiva. Aceite a clareza que você sente agora. Você viu as coisas como elas realmente são, e isso lhe confere poder. Inspire o poder da clareza e a percepção que resulta de enxergar a realidade. Seja bem-vinda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário