13 de ago de 2017

Deusa Hecate - 13 de Agosto

Mitologia - Hécate é considerada por algumas pessoas como a Deusa trácia da Lua, e por outras como uma antiga Deusa pré-grega das parteiras, do nascimento, da fertilidade, do lado escuro da Lua, da magia, da rique-za, da educação, das cerimônias e do Inferno. Adorada nos locais onde as estradas se cruzavam, ela andava nas noites de Lua nova acompa-nhada por uma matilha de cães de caça. As pessoas a veneravam dei-xando oferendas nas encruzilhadas. Como mulher idosa, ela também formou uma tríade com Perséfone (donzela) e Deméter (mãe).

Significado da carta - Hécate a encontra na encruzilhada onde você tem de fazer uma esco-lha. Os momentos de escolha não são fáceis. Os desafios apresenta-dos precisam de um salto de fé da pessoa que faz a escolha. Hécate diz para abandonar a ideia de que há escolhas certas ou erradas: há apenas escolha. Você tem adiado fazer uma escolha porque ela pare-ce muito sufocante ou é uma situação "de perda"? A escolha lhe dá medo do desconhecido? Parece melhor e/ou mais fácil continuar com o que você já conhece?

As vezes, a escolha tem de ser feita; no entanto você não está pronta. Nesses casos, o caminho para alimentar a totalidade é reco-nhecer onde você está e relaxar. Confie em que será capaz de fazer uma escolha quando chegar a hora. Conceda-se tempo e espaço. Não pressione, não se censure nem se culpe. Aqui você precisa de prote-ção. Quando você relaxa, subitamente surge a claridade para mos-trar-lhe o que é necessário. Hécate insiste para você aceitar o desco-nhecido. Saiba que seja qual for a sua escolha, ela lhe trará algo valioso que você poderá usar no caminho para a totalidade.

Sugestão de ritual: Jornada de perspectiva de Hécate

Reserve um horário e um lugar em que não seja interrompida. Sente - se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta. Quando se sen-tir pronta, feche os olhos. Inspire profundamente e expire devagar. Respire fundo outra vez e, quando soltar o ar, deixe o corpo cair co-mo se estivesse tirando uma roupa de seda, deixando-a cair forman-do um poço a seus pés. Inspire profundamente outra vez e visualize, perceba ou sinta Hécate, a antiga, a Deusa velha, em pé à sua fren-te. Ela lhe estende a mão, que você aceita.

Um caminho surge diante de você, e ambas caminham por ele. O caminho é de pedra negra, grandes pedaços de obsidiana, e leva por uma descida em espiral. Você desce, desce, cada vez mais fundo, mais fundo, espiralando com Hécate a seu lado pelo caminho de obsi-diana.

A presença dela é reconfortante e lhe dá segurança. Você con-tinua a descer em espiral no caminho de obsidiana, até atingir uma encruzilhada. Ali o caminho de obsidiana é cruzado por um caminho de pérolas (ou de pedras brancas) e um caminho de coral (pedras ver-melhas).

Todos os caminhos estão abertos para você. Qual você percor-rerá? Todos são excitantes e lhe prometem algo de que você precisa. E Hécate está presente para ajudá-la a escolher.


Na interseção dos três caminhos, Hécate se senta e faz um sinal para que você se sente perto dela. Ao sentar-se, você está consciente do poder dos caminhos que se cruzam vibrando sob você. Você inspira profundamente e sente a vibração do seu corpo. As vibrações aumentam de tal modo que parecem lufadas de vento girando em volta de você. Elas lavam você de tudo. E a envolvem, circundam e sustêm. As rajadas vibrantes de vento ajudam-na a abandonar todos os pensamentos, sentimentos, atos. Hécate está com você, caso pre-cise de ajuda.Os ventos a envolvem e você começa a voar com eles. Ba-lançando de um lado para o outro, eles a levam para cima e para baixo. Hécate voa com você. A medida que o vento a leva para cima, cada vez mais para cima, Hécate sugere que você observe os três cami-nhos abaixo. Eles não mais a atraem nem a deixam confusa. Parecem estreitos e insignificantes. Apenas três caminhos, três possibilidades.

Os ventos arrefecem, e você flutua suavemente até o chão. É ho-ra de voltar. Você segura a mão de Hécate, e ela a conduz para cima, cada ve: mais para cima, pelo caminho em espiral, pelo caminho em obsidiana. Para cima, cada vez mais para cima em espiral, sentindo-se calma e centrada, até chegar ao fim do caminho. Hécate a abra-ça e você lhe agradece pela jornada, pelo dom da perspectiva e da clareza. Ela lhe pede algo, e você lhe dá com gratidão. Hécate desa-parece e você respira fundo. A medida que solta o ar, você volta ao corpo. Respire fundo outra vez e, quando estiver pronta, abra os olhos. Seja bem-vinda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário