21 de ago de 2017

Eurínome - ÊXTASE

Mitologia - Eurínome, ou "ampla viagem", é a Grande Dança dos povos pré-helênicos da Grécia. Ela é a Grande Deusa de todas as coisas. Ela separa o céu do mar e, enquanto dançava nas ondas, criou o vento norte. O vento norte cresceu lascivo, então ela o aprisionou em suas mãos e formou uma serpente que chamou de Ofion. Eurínome fez amor com Ofion e então assumiu a forma de uma pomba para botar o ovo universal do qual proveio toda a criação. Ofion, não contente com o fato de ser uma criação de Eurínome, e co-criar com ela, alardeou que ele era o supremo criador. Eurínome arrancou seus dentes e o baniu.

Significado da carta - Eurínome dança na sua vida para dizer que é hora de êxtase. Ele es-tá aqui para você em toda a sua plenitude, exuberância e entusiasmo. Como você pode proporcionar a si mesma um êxtase profunda-mente fortalecedor e alegre? Um caminho é curar as suas feridas. Elas ocupam lugar emocional em seu íntimo. Uma vez curadas, o espaço que elas ocupavam fica disponível para o êxtase. Outro caminho é abrir-se a ele, invocá-lo, senti-lo e deleitar-se nele. Para aqueles que tiveram pouca alegria na vida, a decisão consciente de cortejar, seduzir e provocar o êxtase certamente é bem-vinda. Eurínome diz que, quando você tomar a decisão de dançar com o êxtase, a vida a desa-fiará com novas oportunidades para facilitar essa dança.

Sugestão de ritual: Dance com Eurínome

Reserve um horário e um lugar em que você não seja interrompida. Sente-se ou deite-se confortavelmente, com a coluna reta. Feche os olhos. Respire fundo e expire suavemente. Escolha uma parte do seu corpo e respire profundamente para ela. Concentre toda a sua atenção nessa parte; em seguida, prenda a respiração e sinta uma peque-na pulsação nessa parte do corpo, contando até cinco. Lentamente, expire e sinta, perceba ou visualize seu corpo transformando-se em pó, enquanto a parte escolhida continua intacta. Então inspire pro-fundamente e, à medida que solta o ar, deixe essa parte do corpo ruir transformando-se em pó.

Visualize, sinta ou perceba a abertura de uma caverna. Pode ser uma caverna que você conheça ou uma caverna imaginária. Respire fundo e, à medida que expira, veja-se em pé diante dessa caverna. Sinta o exterior dessa caverna. Cheire a entrada. Então, entre na caverna. Ela é do tamanho exato e tem a temperatura de que você precisa para sentir-se bem. Vá para o fundo da caverna, que se estreita num túnel descendente, e comece a descer, descer, cada vez mais fundo, mais fundo, mais fundo. Para baixo, cada vez mais para baixo, sentindo-se relaxada, mais à vontade, até ver uma luz no fim do túnel. É uma luz pálida, cinzenta, e você sai através dela. Agora você está no grande caos primordial. Nada é diferenciado, tudo gira e rodopia. Você chama Eurínome, e ela aparece perto de você. Ela a convida para dançar o êxtase com ela.

Respire profundamente para o seu coração ao mesmo tempo que se abre para experimentar o que for necessário. Respire fundo outra vez, enchendo os pulmões com força e energia. Eurínome começou sua dança, e a visão, o sentimento e a sensação disso enchem você de uma alegria imensa, tanto que você se sente fortalecida e inspira-da para começar a dançar. (Neste ponto, talvez você queira tocar uma música e começar a dançar, ou talvez queira continuar com o ritual como se fosse uma viagem.)

Enquanto dança, você sente prazer. A delícia de mover-se, de estar total è completamente no seu corpo lhe dá prazer. O prazer aumenta quanto mais você se movimenta, quanto mais você se expressa por meio da dança, até você sentir uma energia vibrante zunir em seu coração. A medida que o zunido se espalha por todo o seu corpo, seu coração se escancara para o êxtase, e você sente suas células explodirem. O sentimento da dança é vibrante, arrebatador e extático.

Os limites do seu corpo se dissolvem, seu ser verdadeiro se expan-de até você ter a sensação de união com tudo o que existe, com tu-do que já existiu e com tudo que ainda vai existir. Você dança, e o caos rodopiante, fervilhante se divide em céu e água. Você dança nas ondas em total bem-aventurança e alegria.

Continue dançando, sentindo-se repleta de alegria, encanto, êxtase. Continue dançando até sentir-se plena e pronta para voltar. Agradeça a Eurínome e volte à caverna.

Agora você está subindo, subindo, subindo, sentindo-se comple-tamente revigorada, subindo, subindo, subindo, sentindo-se revita-lixada, transformada e vibrantemente viva. Você chega à caverna e sai pela abertura. Em pé fora da caverna, inspire profundamente e, à medida que expira, volte ao seu corpo. Respire fundo outra vez e abra os olhos. Seja bem-vinda!

Nenhum comentário:

Postar um comentário